• Núcleo Pedagógico

Reconstruindo o tempo em nós


Queridas famílias do Colégio Rudolf Steiner de Minas Gerais,

Desejamos que todos estejam bem!

Nesse momento desafiador que estamos vivendo, gostaríamos de compartilhar algumas reflexões, fruto de estudos do colegiado ao longo deste período, que têm orientado as decisões e os caminhos escolhidos.

Em meio a uma pandemia, estamos hoje sem a possibilidade do encontro. Percebemos que, por esta inviabilidade, a nossa escola não pode oferecer a Pedagogia Waldorf com o alicerce que a sustenta de verdade, com a substância que promove o verdadeiro desenvolvimento da criança e do jovem. Nossa escola não pode, neste momento, oferecer PRESENÇA, oferecer CALOR. Isso, de fato, ela não pode! Sem a possibilidade da presença, do encontro, do calor humano, que são condutores para um amadurecer saudável da alma, estamos sendo realmente convidados a muitas reflexões. Reflexões que perpassam a intimidade de cada constelação que vai desde o maternal até o 12º ano escolar desse universo, que é a nossa escola. Estamos acompanhando o que tem sido feito em outras escolas e algumas estão oferecendo conteúdos variados por meios virtuais. Não concordamos com essa medida, mesmo que temporária, por vários motivos e somos gratos pela compreensão de vocês. Não queremos – e sentimos que não devemos – ser promotores desses recursos na vida de nossos alunos, pois ao mantermos crianças e jovens na frente das telas, e até nós mesmos, estaremos promovendo um grande malefício à sua saúde física e anímica, fazendo com que a perda seja muito maior do que o ganho. Ficamos desgostosos com a experiência feita com os nossos jovens, percebendo a dificuldade de se expressarem confortavelmente através desse recurso, pois uma aula é diferente de um bate-papo. O próprio meio, não contando com a atuação do calor, inviabiliza a profundidade e a sustentação de um tema. Outro ponto relevante é que nem todos têm um bom acesso à internet ou um dispositivo com recursos para as demandas. Percebemos que, assim, podemos criar mais distanciamento do que vínculos entre professores/alunos, alunos/alunos, alunos/conteúdos. Nosso compromisso com essa pedagogia que escolhemos é, antes de tudo, pelo processo de aprendizagem que ela aborda, a educação de fato, o encontro do Eu com um outro Eu.

Nós, professores, temos estudado muito a esse respeito e a única certeza que temos é que o meio virtual não é adequado para as crianças, nem mesmo para os jovens. Entendemos que, por trás desses dispositivos, está uma falsa realidade, uma ilusão que, com o objetivo de nos aproximar, nos distancia cada vez mais, inclusive de nós mesmos. Distancia nossa alma da realidade do espírito através do mundo. A fala do Cristo, hoje, exige profunda compreensão: “Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estou no meio deles...”. O que nos resta senão manter acesa a chama dos nossos encontros e, pela força da lembrança que ainda preserva calor, cultivar uma saudade gostosa cheia de ideias para o encontro por vir! Cada professor vem mantendo o contato com suas turmas, conversando com os alunos, oferecendo apoio aos pais e atividades apropriadas para as idades, dentro do que acreditamos ser o caminho para o momento. Continuaremos a enviar as cartilhas para os pais do primeiro setênio, as propostas de trabalho para as crianças do segundo setênio e as atividades programadas, incluindo atendimentos individuais, aos jovens do terceiro setênio. E desejamos sinceramente que o verdadeiro encontro seja cultivado dentro do ambiente familiar, o calor em casa, sem faltas ou sobrecargas. Essa será a substância que se tornará matéria-prima para o trabalho em nosso retorno.

Vemos nessa pandemia uma grande possibilidade: a de nos restabelecermos enquanto núcleo familiar, num sentido muito mais amplo do que só pela hereditariedade. Essa hereditariedade teve grande função em tempos antigos, mas hoje precisamos nos colocar diante das crianças e dos jovens e buscar reconhecer sua missão nessa vida como indivíduos, para além do compromisso hereditário ou tradicional, conseguindo ajudá-los em suas necessidades. Esse encontro, que exige do nosso EU uma postura bastante generosa e responsável, é o convite feito agora! Essas crianças e jovens terão a chance de atuar plenamente em um mundo completamente diferente do nosso. Um mundo novo e que, por isso, requer força, coragem e criatividade, sempre em liberdade! Precisam estar preenchidos de entusiasmo e positividade e nossa grande tarefa, mais do que passar qualquer outro conteúdo, é mostrar a nossa confiança em uma direção espiritual plena de sabedoria que garante que tenhamos força interna para preservar nossos bens mais preciosos: o EU e o outro. Este precisa do nosso acolhimento e não do nosso distanciamento. Acreditamos no vínculo que cada professor estabeleceu com cada criança e sua família, precisamos confiar que esse encontro não é mero acaso e, sim, que estamos juntos por algo bem maior, sem limite de tempo ou espaço.

Como professores dessa escola e como representantes da Pedagogia Waldorf (alicerçada na Antroposofia), gostaríamos ainda de propor reflexões: o que nos moveu quando fizemos a escolha desse caminho para nossos filhos? Posso, agora, continuar a sustentar esse ideal, contribuindo para que essa escola siga existindo no mundo para além da pandemia? Acreditamos que, ao escolher essa escola, nos vinculamos a ela e à sua filosofia e, agora, podemos nos perguntar se é possível sustentar esses valores dando a contribuição necessária para que essa comunidade continue existindo e aquilo que nela é cultivado mesmo que, no momento, não possamos oferecer PRESENÇA. Como comunidade, buscamos também estar ao lado das famílias que tiveram redução em suas rendas, por meio do Atendimento Fraterno, criado pela API. Pedimos que, se esse for o seu caso, procure o Atendimento Fraterno e leve sua situação, pois somente assim poderemos decidir como seguir. Caso você esteja com dificuldades financeiras geradas por outros motivos, pedimos que nos comunique, para também buscarmos soluções. Lembramos também que a confiança estabelecida intimamente com o professor de classe ou tutor é a base maior para a realização de todo trabalho. O professor de classe/tutor deve ser sempre o primeiro a ser procurado para sanar qualquer angústia e buscar soluções junto às instâncias da escola, pois ele cultiva os fundamentos que sustentam essa pedagogia e pode orientar da melhor forma.

O corpo pedagógico está em constante movimento para tentar reformular esse ano escolar dentro de algumas possibilidades, mesmo sem a certeza de nada ainda. Reiteramos que estamos empenhados em ajudá-los e em fornecer todo o apoio possível para que este seja um tempo proveitoso e para que, no retorno, possamos recomeçar com toda força e entusiasmo, dentro das possibilidades que a Pedagogia Waldorf nos proporciona.

A opção de manter nossas comunicações gerais por carta, através de um único canal de e-mails como o informativo e não por videoconferências se dá pelas reflexões colocadas acima. Sentimos que as videoconferências não criam um ambiente onde todos podem ser considerados satisfatoriamente, não gerando desse tipo de encontro um ser comum, um ideal comum permeado com calor e resguardado em sua pele. Não conseguimos formar pele, manter uma proteção para as ideias geradas, mesmo por um grupo pequeno de pessoas, todas com vídeos ligados e conexão sem falhas. Hoje, diante de tantas ofertas virtuais que roubam o nosso tempo, somos convidados a reconstruí-lo em nós. Pois, se nos dispersamos em tantas fontes de informação sem condições de digeri-las e aprofundá-las, podemos nos deixar levar pela ansiedade de apreender uma realidade que ainda é impalpável e instável, não nos permitindo encontrar o nosso tempo interno, aquele capaz de nos restabelecer, a cada instante, a calma, a força regeneradora, o silêncio. Essa força interior será como o chão de um novo mundo onde as crianças poderão continuar se desenvolvendo com alegria pela vida. Não sabemos ainda como nossos filhos, em suas almas, estão absorvendo todos esses desafios pelos quais toda a humanidade está passando. A falta da escola e do convívio social por um período longo, em meio a tantos medos, com certeza exigirá de nós muita presença, muito calor. Nós, adultos, precisamos nos reestruturar por amor às crianças. Os professores dessa escola estão se preparando internamente para isso, cultivando ainda mais as qualidades que norteiam o nosso caminho. Contamos com a confiança e a parceria verdadeira e necessária de vocês, sempre.

Preferimos confiar no que foi plantado e aguardar, em profunda reverência, o que a escuridão da terra reserva como colheita de um trabalho feito da melhor maneira possível, sem medir esforços.

Carinhosamente,

Corpo Pedagógico

Coordenação do Conselho de Pais

Associação Pedagógica Itacolomi

Rua Nossa Senhora de Fátima, 190

Jardinaves - Nova Lima/MG